ARTIGOS


Segurança em instituições de ensino

Caracterização do problema e demonstração da importância social

Quais são os fatores que determinam a escolha de uma família pela melhor instituição de ensino para a educação e formação de seus filhos nos grandes centros urbanos do Brasil? 
Com certeza, a QUALIDADE do corpo docente e sua capacitação, a seriedade do projeto pedagógico, a localização e as condições das instalações físicas e a segurança. 

É neste ponto que o Consultor de Segurança entra em cena como um grande parceiro, pois a maioria das instituições de ensino públicas e privadas carece de um planejamento minucioso de segurança e de um projeto básico de gerenciamento predial - que identifique, analise, avalie e trate com exatidão os riscos e as necessidades de segurança, como as suas áreas de atuação, os recursos humanos, equipamentos, meios e medidas, e considerando a utilização de modernas tecnologias de segurança existentes no mercado, e baseados na ISO 31000. 


Os projetos que devem ser elaborados são integrados com as atividades da instituição, oferecendo a mais econômica, eficiente e eficaz solução para a proteção e segurança de seus professores, pais e responsáveis, alunos e colaboradores. 


Diversos estudos elaborados pela UNESCO e pelo Colóquio de Violência nas Escolas e Políticas Públicas, realizado em Paris, mostram que as instituições de ensino estão entre os espaços sociais que mais preocupam, devendo ser espaços seguros, pois seguranças escolar e universitária constituem um problema que afeta a vida, a integridade física, emocional e psicológica dos agentes de educação, vide Bullying e Sindrome de Burnot.


Bullying é um termo em inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully - «tiranete» ou «valentão») ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma. 


A Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico de caráter depressivo, definido pelos estudiosos como um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional e afeta mais as categorias de professores, médicos e enfermeiros. 

A violência ou a ameaça de violência em suas diversas vertentes tem impacto direto na qualidade da educação e na continuidade do negócio da educação. O trabalho de um Consultor de Segurança nesta área específica deve seguir a seguinte metodologia:


Avaliação Situacional e Análise Estratégica de Riscos (ISO 31000): 


Planejamento Estratégico de Segurança, determinação dos fatores que poderão trazer prejuízos à Instituição e seus frequentadores (perigos), da sua probabilidade de ocorrência (riscos) e da perda esperada em caso de ocorrência de cada risco; 


• Planejamento Tático/Técnico de Segurança e Proteção:


Proposta detalhada e descrição técnica das medidas a serem adotadas para alcançar a maior mitigação de riscos e redução da perda esperada com o melhor custo/benefício; 


• Gestão Operacional da Implementação do Planejamento Tático/Técnico aprovado: 


Administração e controle das medidas a serem adotadas; 


• Planos de Emergência e de Contingência: 


Estes serviços avaliam e desenvolvem planos de emergência e contingência, realizam exercícios e/ou treinamentos de resposta, planejam como será realizada a comunicação durante e após a ocorrência, e montam as equipes que atuam em casos de crises; 



• Montagem de Equipes e Treinamento para Resposta a Perigos em Escolas: 

Treinamento para prevenção e intervenção à ação de gangs, vandalismo, espionagem, sequestros, utilização e tráfico de drogas e outros perigos; treinamento a administradores e agentes de transporte escolar para prevenir, administrar e responder a acidentes, violências e outras emergências em vans e ônibus escolares; montagem de equipes e organização de campanhas de mesa limpa, palestras, jogos de empresas e Endomarketing de segurança e proteção; treinamento para mitigação do risco de Responsabilidade Civil, entre outros perigos;


• Investigações e Resposta a Ocorrências de Segurança: 


Investigações sobre consumo e tráfico de drogas, furtos internos, assaltos, ameaças, tentativas de sequestros, porte de armamento e outros. Suporte pós-crises aos administradores, gestores de segurança e toda comunidade acadêmica. 


• Projetos de Segurança Ambiental: 


Reciclagem e Separação do lixo produzido na Instituição; Destinação correta do lixo comum e armazenamento adequado; Palestras, treinamentos e Endomarketing;


Temos falado em nossos cursos e palestras que este tema deve ser tratado por equipes multidisciplinares, pois os problemas de violência e crime nas escolas no Brasil estão aumentando consideravelmente. Damos destaque aos aspectos técnicos do Gerenciamento de Riscos em Escolas, e a criação do Plano de Prevenção, Controle e Disciplina, mas não podemos deixar de tratar o tema pelo ângulo da necessidade de comportamentos preventivos saudáveis dentro da Escola. Segurança é a soma combinada de medidas integradas tais como: segurança física de instalações, segurança eletrônica, procedimentos, recursos humanos e a pronta resposta às ocorrências.


Segundo o Center for Disease Control and Prevention (CDC), que desde 2001 estuda o tema e estabeleceu e publicou normas de prevenção de lesões acidentais, violência e suicídios nas escolas, temos que criar um ambiente que promova segurança e as lesões. Os estudos indicam abordagens integradas em oito esferas:


• Ambiente Social;

• Ambiente Físico;

• Educação em Saúde;

• Educação Física e Atividade Física Extracurricular;

• Serviço de Saúde;

• Resposta a Crises, desastres e acidentes que afetem a Comunidade Escolar;
• Integração entre a escola, família e comunidade para prevenir lesões;
• Capacitação dos colaboradores e atores educacionais.


O tema é complexo. Para mais informações sobre o tema, acesse:www.slideshare.net/ulissesnascimento 



Ulisses Nascimento, gestor de Segurança Privada formado pela Universidade Paulista. Aluno do MBS 32 da Brasiliano / FESP, pós-graduando em Educação na Universidade Paulista. Profissional com mais de 25 anos de experiência na área de segurança corporativa, oficial da reserva do Exército Brasileiro na arma de Cavalaria, Instrutor e ex-coordenador de Segurança Universitária e Gestão de Riscos no Campus Anchieta da UNI. Especialista formado pela mesma Universidade, atual assessor técnico do GIASES (Grupo Integrado de Apoio à Segurança do Ensino Superior do Estado de São Paulo) apoiado pelo SEMESP, membro da OBESST, associado à ABSO, ex-diretor do Conseg do 83DP – Parque Bristol SP, membro da Comissão Estadual de Polícia Comunitária e Direitos Humanos, ex-coordenador de Governo da ABGS nos anos de 2007 - 2008 e atual vice-presidente da Área de Governo e Assuntos Internacionais do IFIDUS. Sócio do Portal Escola Protegida e Security Manager da Grans Nascimento Associados – Consultoria de Negócios em Segurança e instrutor do Corpo de Segurança da Indústria Kania de Capivari/SP




Operação Volta às Aulas

Quais são os fatores que determinam a escolha de uma instituição de ensino para a educação de nossos filhos? São inúmeros fatores, dentre eles estão,  o projeto pedagógico, a formação e qualificação dos professores, a tradição, a qualidade das instalações físicas e de atividades complementares, a localização, preço das mensalidades  e com certeza a Segurança e Infraestrutura oferecida às pessoas que participam  do processo  educacional.
Devemos saber qual é o critério de contratação de professores e colaboradores, qual o número de alunos por sala, existe laboratório de informática, quadra e biblioteca, a cantina oferece alimentos saudáveis, a escola segue as  leis de acessibilidade, e como é feita a segurança patrimonial, do trabalho, das informações e segurança dos alunos ?
Não existe escola perfeita, mas neste início de semestre , quando visitamos diversos colégios em nossas grandes cidades devemos atentar para a estrutura proporcionada pela escola que garanta a segurança física e pessoal de nossos filhos, devemos inicialmente saber quem é o responsável pela segurança da escola e saber de sua formação e capacitação, existe um projeto de segurança, plano de segurança e análise de riscos? Os componentes da segurança escolar são treinados para as suas funções de segurança amigável? Como eles comunicam-se entre si, há rádio comunicação, celulares e Nextel ?  Os pais são fundamentais no processo de efetivação de um bom  modelo de segurança educacional, a fiscalização de todos determinará a diminuição de perigos e dos riscos envolvidos.
Ao chegar à Escola você deve verificar como é o sistema de controle de acesso e identificação e se a região onde a escola é localizada é violenta ou não. Muitas vezes os crimes e   delitos são diários e o trânsito trará riscos aos seus filhos, verifique a quantidade de bares e lanchonetes no entorno e a presença de ambulantes. Atualmente na cidade de São Paulo está em vigor a lei número 14.492  da Área Escolar de Segurança   que obriga a Prefeitura a realizar um conjunto de ações preventivas em parceria com a comunidade escolar, para melhorar a segurança das escolas . A Polícia Militar do Estado de São Paulo possui os Programas de Ronda Escolar e PROERD e a GCM tem patrulhamento eficiente para as escolas municipais. A segurança escolar é assunto importante que deve ser tratado com professores, pais,  alunos e especialistas em educação e segurança para que possamos reduzir o número de ocorrências, a violência e o crime em São Paulo e região.
Outro aspecto importante a verificar é o denominado escudo escolar, veja o estado dos portões da escola, se existem alarmes, verifique se há câmeras de vigilância e monitoramento nos locais adequados, e é muito importante verificar se os equipamentos de prevenção e combate a incêndios foram inspecionados pelos Bombeiros e se a prevenção de acidentes é uma cultura da escola, fale com o técnico de segurança da instituição. Muitos acidentes ocorrem na região de quadras, piscinas  e laboratórios de física e química e estes locais devem ter normas específicas de funcionamento.
Verifique como é contratado o Transporte Escolar, se está regularizado e se  a documentação dos condutores e do veículo estão em dia, alguns colégios de São Paulo possuem veículos rastreados por satélite e equipes especializadas neste serviço.
Creio que estes pequenos lembretes podem fazer com que seu início de semestre letivo seja mais tranquilo, pois nossa atenção e dos professores  deve estar voltada à melhor maneira de educar os filhos. A parceria com a escola  é uma aliança para que a educação escolar complemente a educação familiar.

Bom segundo semestre a todos, segurança é  a prioridade .

Autor Ulisses Nascimento – Consultor  de Segurança Educacional







































Nenhum comentário:

Postar um comentário